Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Início > Artigos

Artigos

  • Hora da definição

    O Globo, em 27/11/2022

    O desagrado dos agentes do mercado financeiro com a fala do provável futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, reflete bem a relação conflituosa que sempre existiu entre o presidente eleito Lula e o mundo financeiro, uma tradução política da tendência anacrônica esquerdista do PT que, depois da China, deveria ter sido adaptada.

  • O processo da mudança

    O Globo, em 27/11/2022

    Há um tempo, logo que tomei posse na cadeira número 7 da Academia Brasileira de Letras (ABL), sucedendo ao grande Nelson Pereira dos Santos, tendo o poeta Castro Alves como patrono e como precursores o romancista Valentim Magalhães e o ensaísta Euclides da Cunha, iludi-me com essas aparentes homenagens. Considerei-me um brasileiro de sorte que ganhara esses gênios como padrinhos de um inevitável sucesso particular. Hoje sei que esse “sucesso particular” era apenas uma hipótese remota, nunca inevitável.

  • Um bom cobrador

    O Globo, em 24/11/2022

    O presidente Bolsonaro demonstrou em diversas oportunidades ser resiliente, recuperando-se de situações políticas embaraçosas, como quando foi obrigado a entregar o Orçamento nas mãos do presidente da Câmara, Arthur Lira, para sobreviver a um possível impeachment. Parecia um 'pato manco', mas sua prioridade nunca foi gerir o país, e sim atuar em setores ideológicos específicos, como costumes, religião, armamentos. Dedicou se a esses temas por meio das redes sociais e de suas lives e formou uma base de apoio que se mostrou forte na eleição presidencial.

  • A indústria criativa e o Ministério da Cultura

    Jornal Folha de S. Paulo, em 22/11/2022

    Com muito sentimento, criei no Rio de Janeiro o Coral de Cegos Sidney Marzullo. Iniciativa pioneira no país, teve o apoio institucional do Ciee (Centro de Integração Empresa-Es-cola). Lamentei o quanto pude a inexistência de um Ministério da Cultura para nos suprir de recursos financeiros para pagar a alimentação, o transporte e o maestro responsável. Somente a Fundação Cesgranrio, por intermédio do seu presidente, Carlos Alberto Seipa, foi sensível aos nossos apelos -e financiou as atividades iniciais do coral.

  • Ainda os militares

    O Globo, em 22/11/2022

    Georges Clemenceau, jornalista, médico e político, primeiroministro dafrança na Primeira Guerra Mundial, definiu:

    - A guerra! É uma coisa séria demais para ser deixada por conta dos militares.

  • Volta ao velho normal

    O Globo, em 20/11/2022

    O Brasil precisa voltar à normalidade, e os militares são parte importante desse retorno. Não é aceitável que as aglomerações em frente aos quartéis sejam consideradas normais, ainda mais quando pedem medidas inconstitucionais, como a intervenção militar, para não permitir que o presidente eleito tome posse. São as novas 'vivandeiras alvoroçadas' que incentivavam os militares a ações golpistas.

  • Enfim, o sol

    O Estado de S. Paulo, em 20/11/2022

    O choro incontrolável de Sand Mayara Giacomelli de Mello na biblioteca do Senac Araraquara quando ali entrei. Os 200 alunos de cursos profissionalizantes a me ouvir, eu, filho de modesto ferroviário. E as 500 pessoas que estavam na abertura da Primeira Festa Literária de Araraquara, a Fli Sol, para ouvir Zé Celso e eu foram suficientes para acreditar que vamos enfrentar democraticamente os tempos difíceis do novo governo, diante do ataque permanente dos 'manés fascistas' (obrigado ministro Barroso) derrotados em uma eleição sem fraudes.

  • Ressignificação brasileira

    O Globo, em 20/11/2022

    O “Fantástico” botou no ar uma “entrevista íntima” de Rosângela Silva, nossa nova primeira-dama, feita pela dupla de repórteres Poliana Abritta e Maju Coutinho. A carioca do Leblon e a negra de nossas tradições produziram um documento raro e indispensável da cultura política que torcemos para que esteja nascendo no Brasil, nesta fase alegre e iluminada de nosso país pós-bolsonarista.

     

  • Língua Turca: Ama Uzun!

    comunitàitaliana | novem, em 19/11/2022

    Entrei cedo na escola dos ventos, nas ondas frias e atrevidas. Não sei aonde me vou, se nas águas do Bósforo ou da Guanabara.

    Tecida de onda e vento, a língua de Istambul. Ouço rumores do livro didático: tekneler yavas geçiyor, nos barcos que deslizam vagarosos.

  • Manias de escritores

    Jornal do Commercio (PE), em 18/11/2022

    Lisboa. Seguem mais algumas, nesta breve série. Começando pelos charutos, que tiveram sempre seus devotos. Como Cabrera Infante, Carrol, Chandler, Conan Doyle, Conrad, Dafoe, Dickens, Freud, Hemingway, Lorca, Mallarmé, Mark Twain, Pessoa, Poe, Stefan Zweig, Stevenson, os irmãos Max. O café da manhã de Churchill era charuto e uma taça de champanhe. Cabrera Infante (Tristes tigres) falou dos momentos em que se sentia feliz, 'É quando fumo meu charuto em paz, tranquilo, na escuridão.

  • De volta ao futuro

    O Globo, em 17/11/2022

    A presença do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva na COP27, no Egito, antes mesmo de ele assumir o cargo para o qual foi eleito em outubro, contrasta com a primeira decisão do atual presidente brasileiro, que cancelou a reunião do clima que seria realizada no Brasil em 2019.

  • Goldfajn é boa opção para Lula

    O Globo, em 17/11/2022

    Há assuntos que têm natureza de Estado, não de governos. É o caso da candidatura de Ilan Goldfajn à presidência do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Faço a observação na condição de quem foi persistente crítico do atual governo e declarou publicamente voto em Lula na eleição presidencial, em conjunto com muitos outros que não integram a família petista, mas entenderam que ele era a melhor alternativa para superar os desastres da era Bolsonaro.

  • As lágrimas de Lula

    Os Divergentes, em 15/11/2022

    O Padre António Vieira, em Roma, diante da rainha Cristina da Suécia, defendeu que o mundo era mais digno das Lágrimas de Heráclito que do Riso de Demócrito. Argumentava o já idoso jesuíta: 'Quem conhece verdadeiramente o mundo há de chorar; e quem ri, ou não chora, não o conhece.'

  • Equilíbrio social

    O Globo, em 13/11/2022

    Mesmo que Jair Bolsonaro tivesse vencido a eleição, seria inevitável essa negociação com o Congresso para a PEC que permite extrapolar o teto de gastos, porque as promessas dos dois candidatos tinham pesos semelhantes.

  • Segue o jogo

    O Globo, em 10/11/2022

    O mistério, com objetivos políticos, sobre o relatório de técnicos do Ministério da Defesa a respeito das urnas eletrônicas apenas explicita o retrocesso democrático que vivemos nestes últimos quatro anos, que precisa ser estancado. Em tempos normais, os militares não teriam sido chamados para auditá-las, tarefa que sempre foi delegada a universidades e institutos tecnológicos, além de aos próprios partidos políticos, que usavam seus especialistas para atestar a higidez do sistema.