Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Início > Noticias > Academia Brasileira de Letras realiza mesa-redonda em que se destacam os desafios da Ciência no Brasil

Academia Brasileira de Letras realiza mesa-redonda em que se destacam os desafios da Ciência no Brasil

A Academia Brasileira de Letras promoveu no dia 21 de agosto, quarta-feira, na Sala José de Alencar, mesa-redonda em que se discutiu “Os desafios da Ciência no Brasil”. O evento contou com a participação de Nísia da Trindade Lima, Presidente da Fundação Oswaldo Cruz; de Ildeu Castro, Professor do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro e de Luiz Davidovich, Professor Titular na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Entrada Franca.

Os convidados

Nísia Trindade Lima

Nísia Trindade Lima é a atual Presidente da Fundação Oswaldo Cruz. Foi também Vice-Presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz de 2011 a 2016. É doutora em Sociologia e Mestre em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ - atual IESP). É pesquisadora titular da Casa de Oswaldo Cruz, professora de Pós-Graduação do Programa de História das Ciências e da Saúde e professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Sociologia do IESP/UERJ.

Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Pensamento Social Brasileiro, atuando principalmente nos seguintes temas: ciência e pensamento social no Brasil; história das ideias em saúde pública; o sertão no pensamento brasileiro e processos de construção do Estado Nacional. Recebeu da Academia Brasileira de Letras a medalha comemorativa dos 110 anos de fundação da Academia, em 2007; e também a Medalha Euclides da Cunha em 2009.

Possui uma vasta produção acadêmica, com destaque para os livros: Um Sertão Chamado Brasil, prêmio de melhor tese em sociologia, concedido pelo Iuperj em 1999, já em sua segunda edição (São Paulo, Hucitec, 2013), no qual a autora pretende explicar as razões da persistência e da ênfase com que a oposição entre o Brasil do litoral e o dos sertões foi abordada no pensamento social brasileiro. Antropologia Brasiliana: Ciência e Educação na Obra de Roquette-Pinto, obra organizada em colaboração com Dominique Miranda de Sá e Médicos Intérpretes do Brasil, organizado em colaboração com Gilberto Hochman (São Paulo, Hucitec, 2015). Na Revista Brasileira, publicou no volume 62, em 2010, o artigo Euclides da Cunha e o Pensamento Social no Brasil.

Luiz Davidovich

Luiz Davidovich obteve em 1968 o bacharelado em Física na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Doutorou-se na Universidade de Rochester, EUA, em 1975. É Professor Titular na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desenvolve pesquisas nas áreas de ótica quântica e informação quântica, tendo sido pesquisador visitante em diversas instituições estrangeiras. É membro da Academia Brasileira de Ciências, da Academia Mundial de Ciências para o avanço da ciência no países em desenvolvimento (TWAS) e é membro estrangeiro da National Academy of Sciences, dos Estados Unidos da América. Recebeu a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico em 2000, o Prêmio de Física da TWAS em 2001 e o Prêmio Alvaro Alberto, outorgado pelo CNPq, em 2010. É Fellow da American Physical Society e da Optical Society of America. É Presidente da Academia Brasileira de Ciências no segundo mandato, para o período de maio de 2019 a maio de 2022, e Secretário Geral da TWAS, para o período de janeiro de 2019 a dezembro de 2022. Foi Secretário Geral da Sociedade Brasileira de Física no período 1981-1983 e membro de seu Conselho em diversos períodos. Atuou também como representante da comunidade científica no Conselho Deliberativo do CNPq, no Conselho Superior da CAPES e no Conselho Superior da FAPERJ.

Ildeu de Castro Moreira

Ildeu de Castro Moreira é professor do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atua também nas áreas de história da ciência e comunicação pública da ciência. Foi diretor do Departamento de Popularização da C&T do Ministério da CT&I e coordenador da Semana Nacional de CT, de 2004 a 2013. Recebeu, em 2013, o Prêmio José Reis de Divulgação Científica do CNPq.  É atualmente presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC.

15/08/2019