Início > Noticias > Historiador Ronaldo Vainfas abre na ABL o ciclo de conferências “Capítulos de história colonial”, sob coordenação do Acadêmico Evaldo Cabral de Mello

Historiador Ronaldo Vainfas abre na ABL o ciclo de conferências “Capítulos de história colonial”, sob coordenação do Acadêmico Evaldo Cabral de Mello

A Academia Brasileira de Letras abriu seu ciclo de conferências do mês de junho de 2017, intitulado Capítulos de História Colonial, com palestra do cientista e historiador Ronaldo Vainfas. A coordenação é do Acadêmico e historiador Evaldo Cabral de Mello, e a moderação, do Acadêmico e jornalista Zuenir Ventura. O tema escolhido foi Sefardismo sob cerco: judeus e cristãos-novos no ocaso do Brasil holandês. O evento aconteceu na terça-feira, dia 6 de junho, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., Avenida Presidente Wilson 203, Castelo, Rio de Janeiro. Entrada franca.

Foram fornecidos certificados de frequência.

De acordo com o palestrante, a conferência abordou a diáspora sefardita na Holanda e a sua ramificação nas capitanias açucareiras conquistadas pelos holandeses, a partir de 1630, assim como o encontro dos judeus portugueses vindos da Holanda com os cristãos-novos residentes em Pernambuco, analisando as aproximações e tensões entre os dois grupos. Concentrou, também, o foco da análise nos anos finais da dominação holandesa, a partir da insurreição pernambucana, entre 1645 e 1654, destacando o papel da ação dos judeus na defesa da comunidade sefardita de Pernambuco, em face da chamada “guerra da liberdade divina”.

A Acadêmica e escritora Ana Maria Machado, Primeira-Secretária da ABL, é a Coordenadora-Geral dos ciclos de conferências deste ano.

Capítulos da História Colonial terá mais três palestras, às terças-feiras, no mesmo local e horário, com os seguintes dias, conferencistas e temas, respectivamente: dia 13, Ronald Raminelli, Nobrezas e principais da terra: a dinâmica das elites coloniais; 20, Luciano Figueiredo, As revoltas e resistências antifiscais no Brasil colônia; e 27, Heloisa Starling, Republicanismo no Brasil colonial.

Saiba mais

Ronaldo Vainfas é doutor em História pela USP. Titular de História Moderna da UFF e professor visitante da Uerj-FFP. Pesquisador I-A do CNPq e Cientista do Nosso Estado da Faperj. Prêmio de Excelência Científica em 2009, realizou estágios de pós-doutorado na Universidade de Lisboa e na Universidade de São Paulo.

Autor de diversos livros e capítulos sobre a história colonial luso-brasileira, com destaque para temas e fontes jesuíticas e inquisitoriais, Ronaldo Vainfas ministrou cursos e/ou e proferiu conferências em Portugal, Espanha, Inglaterra, Holanda, Alemanha, México, Estados Unidos, Colômbia e Argentina.

Orientou cerca de cem dissertações de mestrado, teses de doutorado e monografias de graduação, além de supervisionar pesquisas de pós-doutorado. Organizou diversas coletâneas, a exemplo de Domínios da História (1997, última edição em 2012), em parceria com Ciro Cardoso, e obras de referência, como o Dicionário do Brasil Colonial (2000) e o Dicionário do Brasil Joanino (2008), em parceria com Lúcia Bastos, vencedor do Prêmio Sérgio Buarque de Holanda.

Entre os livros resultantes de pesquisa original, destacam-se Trópico dos Pecados - moral, sexualidade e Inquisição no Brasil (1989, última edição em 2010); A heresia dos índios (1995, última edição em 2015); Entre as obras mais recentes, publicou Jerusalém Colonial - judeus portugueses no Brasil holandês (2010) e Antônio Vieira - jesuíta do rei (2011), vencedor do Prêmio Jabuti.

01/06/2017

Notícias relacionadas